sexta-feira, 6 de março de 2015

Visto Americano para Italianos

Outra grande vantagens para os cidadãos italianos é sobre os vistos americanos de investidores e que estão limitados a alguns países por acordos comercias e abaixo uma matéria muito interessante falando sobre todos esses aspectos. Enfim a cidadania italiana abre portas não só na Europa mas nos Estados Unidos e Canadá, mostrando ser um grande investimentos para os descendentes que correm atras de regularizar a cidadania.

Vistos para Comerciantes & Investidores (Visas E1, E2)
Os vistos para Comerciantes e Investidores oferecem aos nativos dos países que fazem parte do Tratado de Comércio com os Estados Unidos (* ver em baixo a lista dos países) a oportunidade de trabalhar, dirigir e controlar um negócio que tenham estabelecido nos Estados Unidos.
Trata-se de um visto temporário ou de não- imigrante, e o Comerciante ou Investidor poderá renovar seu visto por um longo período enquanto a empresa estiver em operações. Destarte, devido a uma recente modificação na lei, as esposas de um Comerciante ou Investidor podem obter autorização de trabalho enquanto o “beneficiário principal” mantiver o seu status.
Um visto E-2 exige um investimento médio de US$100,000 a US$150,000. Já um investidor imigrante, e sob a categoria de investidor EB-5 (Green Card) deverá fazer um investimento de ao menos US$500,000 em um negócio novo, que deverá gerar no mínimo de 10 novos empregos de tempo integral.
Outra opção para investidores é visto categoria L-1. Mas, só após uma análise detalhada da situação que o cliente se encontra e do caso concreto é que se poderá determinar com certeza qual categoria de vistos de Investidor o cliente se enquadra. Esta análise deverá ser realizada por um advogado de imigração com experiência.
FAQ (Perguntas mais Frequentes)


  1. Como me qualifico como Comerciante para um visa E-1?
  1. Como me classifico como Comerciante para um visa E-2?
  1. A empresa comercial já deve existir e/ou o investimento deve ser feito antes da emissão do visto? No geral, é permitido abir um novo negócio?
  1. O que é uma quantia substancial?
  1. As “joint ventures” são permitidas?
  1. Quanto tempo pode um Comerciante ou Investidor permanecer nos Estados Unidos?
  1. Onde devo realizar o requerimento para o visto E-2/E-1?
  1. A esposa e filhos do requerente tem direito a vistos derivativos?
  1. A esposa de um detentor de visa E pode trabalhar? Os filhos dependentes E-2 podem estudar?
  1. Quais as nacionalidades que se qualificam para os vistos E?
  • O requerente tem de ser nativo do país com tratado de comércio.
  • O comércio internacional deve ser “substancial”; deve existir um volume comercial sustentável e contínuo.
  • O comércio deve se realizar principalmente entre os Estados Unidos e o país comerciante. Isso significa que mais de 50% do comércio internacional da empresa envolvida deverá ser entre os Estados Unidos e o país da nacionalidade do requerente.
  • Comércio significa a troca internacional de produtos, capitais, serviços ou tecnologia. O título dos itens tem de passar de um país para o outro.
  • O requerente deve estar empregado como diretor ou com capacidade executiva, ou possuir capacidade altamente especializada, essencial para a operação da empresa.
  • O investimento deve ser substancial, ou seja, suficiente para assegurar uma operação de sucesso da empresa. A porcentagem do investimento para uma empresa de baixo custo deve ser superior à porcentagem do investimento em uma empresa de alto custo.
  • O investimento deverá ser real e não especulativo.
  • O investimento não pode ser marginal. Tem de gerar rendimento significativamente maior que o necessário para manter o nível de vida do investidor e sua família ou deve ter um impacto econômico significativo nos Estados Unidos.
  • O investidor deve possuir o controle dos fundos e o investimento deve ser de risco, no sentido comercial. Empréstimos com garantias em relação ao ativo da empresa não serão contabilizados.
  • Um investidor deve vir para os Estados Unidos para desenvolver e dirigir a empresa. Se o requerente não for o investidor, este terá que estar empregado como diretor, executivo ou deverá possuir capacidade altamente especializada.


O termo “comércio” está definido para incluir as relações comerciais de produtos e comércio de serviços e tecnologia. Isto inclui bancos, seguros, transportes, turismo, comunicações, processamento de dados, publicidade, contabilidade, desenho e engenharia, consultoria de gestão, transferência de tecnologia e outros serviços mensuráveis que podem ser comercializados.
Sim. Você deve criar um novo negócio. Porém, para obter um E-2 ou E-1, você deve demonstrar que irá efetuar um investimento substancial ou que já o realizou. O negócio já deve estar estabelecido no momento do requerimento para o visto. Os investimentos, porém, podem ser futuros, desde que os fundos estejam irrevogavelmente ligados ao investimento, tal como numa conta paralisada apenas aguardando a  emissão do visto. Os fundos de investimento podem provir de outro país, incluindo os Estados Unidos, enquanto forem controlados pelo investidor requerente.
Note que o simples depósito do dinheiro em uma conta bancária e a apresentação do plano do negócio, normalmente não são suficientes para obtenção do visto.
Não existe um valor fixo o qual é considerado como “substancial”. Um valor substancial de capital constitui aquela soma, que é suficientemente ampla para assegurar o comprotimento financeiro do investidor para uma operação de sucesso da empresa calculado por meio de um cálculo de proporcionalidade. O teste de proporcionalidade compara a soma total investida na empresa com o custo do estabelecimento de uma empresa desta natureza ou a soma do capital necessário para comprar uma empresa já existente no mercado.
Normalmente será necessário um investimento mínimo de US$100.000,00, se bem que este valor pode ser reduzido no caso de um determinado negócio não exija tamanho investimento. Um investimento absolutamente mínimo esta entre US$50.000,00 e US$75.000,00, spara este tipo de negócio.
Cumpre ressaltar que são diversas Embaixadas Americanas que processam requerimentos E-2, e as mesmas parecem ter idéias diferentes do que deverá ser considerado um investimento substancial. Algumas preferem que haja um investimento mínimo de US$150,000 então o investidor deverá consultar um de nossos advgogados para se certificar se o investimento hora efetuado será suficiente para efeito de requisição de visto E.
Sim, desde que o investidor tenha o papel de “desenvolver e gerenciar” a empresa. O requerente deve estar em posição de controle da empresa através da posse de pelo menos 50% da empresa através de seu contrato social.
O requerente deverá ter o intuito de deixar os Estados Unidos após conclusão de suas atividades comerciais. Não obstante, os detentores de um visto E podem residir nos Estados Unidos enquanto preencherem os requisitos do visto E. Assim, uma estadia de prazo potencialmente indefinido é possível.
Tipicamente o requerente deverá requere-lo perante uma Embaixada dos Estados Unidos no país de sua nacionalidade ou onde possuem residência legal. É possível também obter um status E-2 ou E-1, nos serviços USCIS nos Estados Unidos para quem queira mudar seu status e já esteja em território americano, o que não é normalmente aconselhável pois, se o requerente deixar os Estados Unidos, terá a necessidade de submeter seu requerimento por escrito novamente na Embaixada local. A Embaixada dos Estados Unidos não considera a aprovação na mudança do status E-2. Isto é uma particulariedade no processo E-2/E-1.
Sim. A esposa e filhos com idade inferior a 21 anos se qualificam para os vistos derivativos do visto E fundamentados na qualificação do requerente principal. Não é necessário que tenham a mesma nacionalidade do detentor principal.
Sim. No seguimento de mudanças recentes na lei, a esposa dependente do visa E também tem permissão de trabalho nos Estados Unidos. Contudo, devem se inscrever para obter a autorização de trabalho quando chegarem aos Estados Unidos. Os filhos menores dos detentores do visa E também podem frequentar a escola sem necessidade de obter visto de estudante.
Argentina, Austrália, Áustria, Bélgica, Bósnia_Herzegovina, Canada, Chile, China, Colômbia, Costa Rica, Estónia, Etiópia, Filandia, França, Geórgia, Alemanha, Honduras, Irão, Irlanda, Itália, Jamaica, Japão, Jordânia, Coreia, Libéria, Eslováquia, Luxemburgo, Macedónia, México, Holanda, Noruega, Oman, Paquistão, Paraguiai, Filipinas, Eslovénia, Espanha, Sri Lanka, Suriname, Suécia, Suíça, Tailândia, Togo, Turquia, Reino Unido, Jugoslávia.
Bolívia, Brunei, Dinamarca, Grécia, Israel
Albânia, Arménia, Bangladesh, Bulgária, Camarões, Republica democrática do Congo, Republica do Congo, Republica Checa, Equador, Egipto, Grenada, Cazaquistão, Kyrdyzstan, Lituânia, Moldávia, Mongólia, Marrocos, Panamá, Polónia, Roménia, Senegal, Republica Eslovaca, Trinidad & Tobago, Tunísia., Ucrânia.


fonte: http://vistos-americanos.com/vistos-E2.html

10 comentários:

  1. Fala, Fábio!

    Como ficam as questões em relação aos deveres para com a Itália?

    Tipo, entendo que cidadão tem direitos e deveres, correto? Neste caso, ao ganhar a cidadania italiana, não vêm junto umas obrigações, não?

    []s!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fala Marcio, tudo bem?

      Boa pergunta, temos muitos deveres como cidadão e um deles o serviço militar era umas das obrigações mais complicadas de serem cumpridas pois era uma obrigação e a alguns anos atrás deixou de ser obrigatória, facilitando a vida de muitas pessoas. O voto também não é obrigatório e uma questão que estou estudando no momento é o fisco italiano e seu funcionamento pois estou pretendo abrir conta e também investir e para isso tenho que entender muito bem essas questões e tem pouco material comentado na internet, também estou aprendendo o idioma para conhecer toda legislação civil e tributária. Devemos sempre manter nossos dados atualizados junto ao Consulado, como situação civil, números de filhos, falecimento de um parente. Em casos de bens na Itália como um imóvel que esta muito mais barato em comparação ao Brasil, o cidadão tem de pagar todas as taxas, impostos e tributos mesmo em outro país, acho que de forma resumida é isso.

      Excluir
  2. Boa noite. Na sua opinião é mais fácil obtenção de visto americano através da cidadania italiana, ou seria através do visto com abertura de uma empresa nos estados unidos filial da minha empresa no Brasil.?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Com a cidadania italiana, enquadrando na qualificação E1 ou E2.

      Excluir
    2. Muito obrigado! Mas ainda sobre o visto L-1, na sua experiência tem sido viável para os brasileiros? Algum requisito especial que precise ser observado? Tenho empresa de colchões certificados para a prevenção e tratamento dos problemas de coluna. Minha intenção é abrir uma filial nos Estados Unidos e comercializar estes produtos lá. Possuo a empresa no Brasil há 16 anos. Já tive uma empresa em Boston por 3 anos, vendi centenas de colchões lá... Vários containeres. Mas abr a empresa com visto de turismo mesmo.

      Excluir
    3. Mas não morava lá. Agora quero morar.

      Excluir
    4. Prezado Ildefonso eu não conheço as regras do visto L1 mas se vc se enquadrar pode ser uma boa oportunidade para você e sua ideia parece muito boa, até por se tratar de um produto diferenciado e como vc tem experiência nos Estados Unidos isso já pode ser um diferencial na obtenção do visto. Vc não tem nenhum parente com cidadania italiana? Isso iria facilitar para tentar o E1 ou E2.

      Excluir
  3. Bom dia, eu tenho cidadania italiana, porem nao sou nativo da italia, nas informacoes nao fala que é necessario ser nativo? Com o visto E1 ou E2 quais os direitos que eu tenho nos EUA? Seria um visto permanente? Residencia permanente? Ou só é valido enquanto houver a empresa??

    ResponderExcluir
  4. Boa noite, estou tirando minha cidadania italiana para tentar visto americano como investidora. Mas moro no Brasil, e gostaria de saber se ha necessidade de comprovar a origem da renda na Itália oriunda do Brasil.

    ResponderExcluir